O blog "A arte da Excelência" foi criado para dar continuidade às ideias do e-book de mesmo nome publicado em 18/05/2011. O download gratuito do livro "A arte da Excelência" e outros conteúdos de destaque permanente estão logo abaixo, no lado direito da página. Para ser informado das novas postagens do blog cadastre seu e-mail ou curta nossa página no Facebook. Para entrar em contatoconosco escreva para artedaexcelencia@gmail.com. Um grande abraço e viva com Excelência!

quarta-feira, 21 de março de 2012

Encontrando um ponto de equilíbrio!

 Meus caros,

   Quando se fala em realização pessoal e profissional uma das grandes dificuldades é encontrar o ponto de equilíbrio entre todas as atividades que temos de desenvolver na vida diária do mundo moderno. Em geral o trabalho consome grande parte de nosso tempo e a vida pessoal acaba sendo sacrificada. Por isso resolvi escrever essa semana sobre como conseguir encontrar um ponto de equilíbrio entre trabalho, lazer e família.

   Esse é um assunto bastante complicado, posto que, muitas vezes, não podemos simplesmente escolher entre fazer isso e não fazer mais aquilo. Diversas de nossas atividades, mesmo as que gostamos, não são propriamente facultativas. Por exemplo, não podemos deixar de trabalhar todos os dias (pelo menos a maioria de nós), não podemos deixar de comer, não podemos deixar de dormir, etc. Por outro lado, há uma série de atividades que podemos escolher entre fazer ou não. Algumas delas fazemos porque gostamos. Outras simplesmente porque não conseguimos nos desnvencilhar delas. Quando vemos já aceitamos e não temos como voltar atrás.

   Pois bem, em meio a tantas atividades é realmente difícil conseguir um ponto de equilíbrio. Geralmente seguimos levados pelo fluxo dessa verdadeira correnteza que se torna o passar dos dias. Mas é possível mudar o ritmo das coisas. Muito provavelmente não de forma radical, mudando tudo de uma hora para outra. Afinal os compromissos assumidos precisam ser cumpridos, para "sairmos pela porta da frente".

   Contudo, com um pouco de estratégia e planejamento as coisas podem estar mais ajustadas a médio prazo. O importante para que isso aconteça é que, no presente, sejam feitas escolhas que conduzam a uma situação de equilíbrio, a uma situação de maior realização de nossos objetivos pessoais e profissionais no futuro.

   Percebam que falei no parágrafo anterior em escolhas e objetivos. Aqui está o ponto principal da busca pelo equilíbrio. Para conseguir uma maior equilíbrio é preciso fazer escolhas. A verdade é que, felizmente ou infelizmente, não dá para fazer tudo o que a vida oferece ou pede. Falta tempo e, em muitos casos, falta compatibilidade (por exemplo, ter um bom casamento é, em regra, incompatível com a vida de boêmio). Então é preciso escolher entre fazer algumas coisas e não fazer outras, o que nos leva a duas questões.

   A primeira diz respeito aos nossos objetivos de vida. Para poder escolher bem é preciso que cada um de nós “perca” um pouco de seu tempo refletindo e pensando o que quer da vida. Quais são as coisas realmente importantes, aquilo que você gostaria de ser ou ter. Por exemplo: casar, ter filhos, ser um bom(a) pai (mãe), ter sucesso no trabalho, comprar uma casa, ficar milionário, ter amigos, comprar um carro, fazer algum curso, praticar algum esporte, participar de algum culto religioso, não fazer nada, fazer o bem, etc. Enfim, cada um precisa saber quais são seus objetivos, ter suas metas bem definidas.

   Com isso, além de conseguir fazer escolhas positivas, haverá mais convicção para, com sutileza, recusar pedidos e convites para participar de atividades que não tenham qualquer significado para seus objetivos de vida. Em resumo, você conseguirá dizer “não” mais facilmente para aquilo que não precise fazer. Esse é um ponto chave quando a palavra é equilíbrio. Você não precisa aceitar incluir em suas atividades aquilo que seja de fato facultativo e que, no fundo, não lhe interessa. Deixe isso para quem gosta e use seu tempo para o que lhe faz bem. Isso vai lhe ajudar, inclusive, a delegar atividades secundárias, quando possível.

   A segunda questão diz respeito ao equacionamento de todos os objetivos dentro da vida diária. Para isso é preciso pensar e planejar como fazer para todos os objetivos caberem de forma bem distribuída no nosso dia, na nossa semana, no nosso mês, na nossa vida.

   Nessa hora entram algumas reflexões importantes. Uma delas é a das atividades compulsórias. Trabalhar, por exemplo. Isso precisa ser feito. Se você gosta do seu trabalho é mais fácil. Tome cuidado apenas para não exagerar. Se não gosta, precisa pensar como pode começar a gostar dele. Ou buscar recolocação em algo que lhe dê mais prazer. Ter algum nível de satisfação nas atividades compulsórias é fundamental para que você esteja mais disposto para cuidar de outras partes "facultativas" de sua vida, como programar encontros com os amigos, sair com sua esposa, brincar com seus filhos. Em relação ao trabalho especificamente vale o alerta de que cada um de nós passa, em média, um terço dos dias trabalhando. Então, descontado o terço que se passa dormindo, gostar do que se faz no trabalho responde por até 50% da satisfação que se tem na vida. Quer dizer, em termos percentuais, quem não gosta do que faz, por melhor que seja sua vida pessoal, vai ter no máximo 50% da "vida útil" com bons níveis de realização.

   Outra reflexão relavante é que, para equacionar o tempo, muitas vezes é preciso escolher não fazer (ou ao menos reduzir o tempo de fazer) atividades das quais se gosta, mas que são secundárias nos objetivos pessoais. Por exemplo, você gosta de jogar futebol com os amigos. Mas ama sua esposa e resolveram ter um filho, tendo isso como um grande projeto de vida. Possivelmente para conseguir manter um equilíbrio positivo entre a paternidade e o futebol será interessante escolher jogar futebol apenas um dia por semana. A escolha de jogar todas as noites pode ser feita. Mas levará a uma perda significativa da experiência da paternidade.

   Enfim, meus caros, ter em mente aquilo que se quer da vida, planejar, fazer escolhas em favor de atividades que possam realizar nossos objetivos de forma harmônica e repensar a forma como se faz as coisas, buscando fazê-las de uma forma mais eficiente, são passos importantes para que possamos encontrar um ponto de equilíbrio que leve à realização pessoal e profissional. Em meio a tantas atribulações da vida diária, um pouco de reflexão e planejamento pessoal são, certamente, soluções bem interessantes.

Um abraço e até a próxima postagem,

Emmerson Gazda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A arte da Excelência" é um projeto sem fins comerciais destinado a gerar reflexão e ações concretas para a realização pessoal e profissional.